23/04/2018



Ali para os lado do Colombo há um espaço, grande, verde e campestre. 
Tem uma quinta lá perdida no meio, hortas daquelas cedidas pela CML, 
um café, relva, cenas. No outro dia fomos lá passear, a Flora e eu, 
e no caminho de regresso trouxemos um ramo caído no chão (em cima), 
carregado de flores e com um cheiro mais ou menos acarilado. 
E uma papoila ainda fechada — começou ontem a abrir e suponho que, 
ao chegar a casa mais logo, já tenha as pétalas todas de fora.  


Sem comentários:

Enviar um comentário