21/08/2019


Se do lado uns-e-zeros do (meu) mundo a coisa tem andado parada — tenho dois De plomb na calha, um daqueles com uma convidada, outro só porque sim; tenho novidades do livro, etc. —, deste aqui, feito de cheiros e vento na pele, não tenho parado: nesta última semana, e só para falar de trabalho (que do resto não quero falar, prefiro vivê-lo), fechei 4 ou 5 livros para a gráfica, daqueles mimaços cheios de gralhas e detalhinhos coca-bichinhos que implicam jornadas de 12 horas com a concentração de um alfinete e uma dor de cabeça ao final do dia.

Mas.
O Flores da Calçada está quase na gráfica — mais uma ou outra verificação e pimbas, lá vai ele. Já encomendei os envelopes e vou tratar, ainda esta semana, dos brindes — fotos e postais. Em breve mais novidades aqui neste tasco.
Para já, para já, umas fotos respigadas nos interstícios destes felizes dias.













15/08/2019





(a mão)

Fotografias da Raquel

13/08/2019

+ + no leitor + + Neil Gaiman on how stories last



(este post é de Fevereiro de 2017 mas vou puxá-lo para cima porque… porque é uma delícia [é o termo])

Tocar aquela

cadência 
(agradam-me: o número 77; o ECG não ser passível de interpretação, deixando assim ao mistério o que ao mistério pertence)